top of page
  • Foto do escritorPortal Entre Elas

Psicóloga lança livro sobre o poder libertador de se amar

A autora Juliana Schaun Benfica estuda o processo de construção da feminilidade com base em uma leitura social e psicanalítica



Idealizadora do projeto "Seja protagonista”, a psicóloga Juliana Schaun Benfica lança seu primeiro livro: “O poder libertador de se amar". A obra analisa profundamente como as mulheres são ensinadas a abrir mão de sua criatividade e autenticidade para se conformarem às expectativas alheias. E também aponta a influência do patriarcado e da relação entre mãe e filha para traçar um caminho de liberdade, por meio do amor-próprio, autonomia e autoconfiança. Publicado pelo selo Artêra, da editora Appris, o lançamento será dia 6 de abril, das 11h às 14h, na Livraria da Rua, em Belo Horizonte (Rua Antônio de Albuquerque, 913 - Funcionários - MG).


A autora já ajudou milhares de mulheres a se libertarem de ciclos repetitivos e conquistarem, a partir do amor-próprio, a autonomia, a coragem e a responsabilidade frente à vida. “O livro carrega o que mais acredito: há poder em se amar e romper com os ideais de feminilidade imposto a nós, e é isso que chamo de liberdade. Passamos a vida construindo nossos corpos, personalidade e ser em torno do que achamos que o outro deseja. E, conforme o tempo passa, menos sabemos quem somos para além de pedaços para a satisfação dos outros. As meninas em nós, foram silenciadas, tiveram suas histórias marcadas, seus caminhos traçados e suas vontades enterradas. Afinal, nós, mulheres, sempre existimos, mas se não somos nós que abrimos a boca para contar nossas histórias, quem vem contando?”, questiona.


Juliana estuda o processo de construção da feminilidade com base em uma leitura social e psicanalítica e conta no livro que a história que nos antecede influencia a nossa vida. Algumas são combustíveis potentes, outras atrasam e dificultam a jornada, mas, de toda forma, elas não precisam ser condenação. “O que quero apontar é que mesmo se você tiver sido educada, criada e crescido em um lar amoroso, respeitoso e que validava suas emoções, necessidades e sentimentos, você terá traumas, afinal, ninguém sai ileso da família. Alguns crescem em ninhos que proporcionam segurança para o voo, outros crescem em gaiolas, prisões emocionais e financeiras, com pais que não permitem que os filhos alcem voo, porque eles realmente lhes cortam as asinhas”, conta a especialista em transtornos ansiosos e depressivos pela Faculdade Albert Einstein.


O livro traz o questionamento “Por que ser uma mulher que se ama é um desafio que beira a impossibilidade?” E oferece ainda uma visão valiosa para as mulheres que desejam libertar-se da “síndrome da boazinha” e tornarem-se protagonistas de suas próprias histórias. “Falar disso não é só dizer um diagnóstico psiquiátrico, mas pensar como a misoginia anula a potência criativa em meninas para adaptá-las ao papel de boazinhas. O desejo por mulheres quietinhas e obedientes impacta na autoestima feminina e gera como resultado mulheres inseguras e dependentes, muitas vezes presas em um ciclo incessante de busca por validação externa”, explica a também psicanalista, formada pela PUC-Minas.


Outro destaque da obra é a culpa feminina, que pode levar mulheres à autossabotagem. Com base nos seus anos de estudo e experiência nos atendimentos clínicos, a autora conta que ao invés de se arriscarem na vida para conquistarem autonomia, elas constroem as próprias armadilhas, voltando ao ponto de acreditarem que tentarem ser autônomas e independentes só traz frustrações e sobrecarga, e não a sonhada liberdade.



Sobre a autora: Juliana Schaun Benfica é psicóloga e psicanalista formada pela PUC-Minas, especializada em transtornos ansiosos e depressivos pela Faculdade Albert Einstein, dedicada a estudar o processo de construção da feminilidade com base em uma leitura social e psicanalítica. Escritora, influencer e idealizadora do curso "O poder libertador de se amar" e do projeto "Seja protagonista", Juliana já ajudou milhares de mulheres a se libertarem de ciclos repetitivos e conquistarem, a partir do amor-próprio, a autonomia, a coragem e a responsabilidade frente à vida.


Sobre a editora: Este livro foi publicado pela Editora Appris, a maior editora 80/20 do Brasil, sediada na cidade de Curitiba, Paraná. Com doze anos de existência, a Appris atua no ramo de publicação de obras técnicas e científicas nas mais variadas áreas do conhecimento. Com a experiência de seus editores, que estão há mais de 30 anos no mercado editorial, a Appris possui um catálogo com mais de cinco mil obras publicadas e que continua a crescer com uma média de 80 lançamentos por mês.


0 comentário

留言


bottom of page