top of page
  • Foto do escritorPortal Entre Elas

Onde foi que eu vi isso mesmo?

Por Maira Trentin



Você já ouviu, ou até já disse: “vi em algum lugar mas não lembro onde…”, “alguém famoso falou que…” ou o clássico “dizem por aí…”!? Essas frases são bastante presentes em nosso dia a dia. Mas aqui, No Mundo da Ciência, elas são muitíssimo perigosas! Dependendo de como vocês as usar, podem até configurar crime!


Como as produções científicas passam por um processo de escrita a fim de registro e publicização do conhecimento, é muito importante que todas as coisas que não foram originalmente criadas por você, ou todas as ideias nas quais você se amparou, sejam devidamente identificadas no momento da escrita. Qualquer coisa diferente disso se enquadra em diferentes espectros de plágio, que é crime. Dentro das normas acadêmicas, existe uma maneira correta e rigorosa de fazer essa identificação de conteúdo produzido por outra pessoa, e podemos pensar nisso com seriedade quanto ao nosso cotidiano. Quando você está conversando com alguém, assistindo conteúdos digitais, formulando um projeto em equipe e vários outros momentos de exercício da coletividade e construção do conhecimento, tenha sempre atenção a quem diz o quê. Se você ouvir uma ideia, uma frase, expressão ou metáfora muito legal que você deseja muito absorver ao seu vocabulário ou às suas referências, busque se certificar com a pessoa que preferiu se é uma frase que provém dela mesma ou se já carrega de outras pessoas/contextos… Certamente ela se sentirá honrada pelo reconhecimento e interesse da sua parte e, acima de tudo, será respeitada enquanto criadora de conteúdos.


Agora, atenta a isso, provavelmente você vai identificar várias situações do dia a dia em que deveria ter referenciado alguém. Vamos caminhando, é aos poucos que os novos hábitos se formam e certamente sua cultura ampliará bastante ao se atentar para que ideia pertence a quem. A chave para identificar esse momentos é perceber: se esse conhecimento é de outra pessoa, declare de quem é! A lógica é simples. Pense também no inverso: quando se tratar de um conhecimento seu nas mãos (falas, postagens, textos…) de outras pessoas, nada mais correto e justo do que você ser referenciada, certo?!


Bom ter tido sua companhia aqui novamente, se quiser contar para alguém o leu aqui, só não se esqueça de referenciar! (: Nos vemos - lemos - semana que vem!



0 comentário

Comments


bottom of page